quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Rio Tinto pesquisa mineral na Bahia 


Empresa mapeia potencial para ocorrência de bauxita

A empresa de mineração Rio Tinto, que atua em mais de 30 países, está realizando estudos geológicos na Bahia para determinar o potencial mineral em relação à bauxita, principal matéria-prima do alumínio. Presente no Brasil há mais de 70 anos, com participações na Mineração Rio do Norte, produtora de bauxita, em Trombetas (PA), e na refinaria de alumina do Consórcio Alumar, em São Luís (MA), a empresa está na Bahia desde 2007, e possui base em Jaguaquara, maior cidade do Vale do Jiquiriçá. As análises devem durar alguns anos e incluem o mapeamento geológico, abertura de picadas, topografia, geofísica, sondagens e estudos para avaliar a qualidade e a quantidade do minério. 

O mapeamento completo da área abrange 12 municípios da região. Na fase atual, a Rio Tinto está coletando amostras de rocha para certificar-se do potencial geológico para o possível desenvolvimento de uma operação de bauxita que incluiria mina, processamento mineral e logística associada. A pesquisa está em fase preliminar de avaliação e detalhamento, e deve ser concluída antes que seja tomada qualquer decisão relativa ao avanço do projeto. “É precipitado, neste momento, fazer qualquer estimativa sobre investimentos, estrutura operacional, geração de empregos e capacidade de produção”, afirma Luis Madella, diretor de Comunicação e Relações Externas da Rio Tinto. 

O projeto emprega atualmente cerca de 280 pessoas, 80% provenientes dos municípios onde acontecem as pesquisas, e realiza 96% de suas compras em prestadores de serviços e fornecedores do Estado da Bahia, 78% nos municípios mais próximos ao projeto. A empresa estabelece um processo contínuo de diálogo e de consulta às comunidades locais e partes interessadas, documentando as preocupações dos interlocutores e buscando contribuir para o desenvolvimento local. “Possuímos parcerias com as universidades locais para bolsas de estudo e estágios de graduação e mestrado, e apoio à pesquisa sobre a Mata Atlântica junto à Universidade Federal da Bahia (UFBA)”, esclarece Madella. A empresa também é parceira do projeto Me Conta, desenvolvido pelo Instituto Casa Via Magia, de registro e valorização da cultura.

fonte: Blog de Ary Moura

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário